Meditar é preciso: quatro técnicas de mindfulness que ajudam a lidar melhor com pressões e prazos no trabalho

Caso você ainda não tenha reparado, mindfulness é a palavra da moda. Em tempos em que a abundância de estímulos obriga todos a serem multitarefa, as técnicas de atenção plena no presente se tornaram especialmente úteis para promover duas metas do cotidiano que costumam ser vistas como contraditórias: produtividade no trabalho e qualidade de vida.

Ane Saraiva, criadora da Sati Consciência Plena, empresa que promove ciclos em grupo de oito semanas de desenvolvimento de mindfulness apresentou quatro técnicas que podem ser aplicadas no ambiente corporativo. Quem aprende a desenvolvê-las, segundo Ane, torna-se mais focado no ambiente de trabalho e menos preocupado com isso fora dele.

 

Não foque no deadline, foque na tarefa

Quem nunca travou diante de uma tarefa porque o prazo para executá-la era muito curto? O fato de ser uma experiência contraditória (o prazo curto não deveria nos fazer mais rápidos?) só torna a experiência mais angustiante. Toda a prática do mindfulness gira em torno de exercitar técnicas para não se deixar levar por pensamentos que nos remetam ao passado ou ao futuro, destravando a sua execução. Foco total no presente.

 

Quando estiver no seu limite, tire três minutos

Inserir a meditação em sua rotina é sempre saudável. Mas, mesmo sem ter esse hábito, você pode usá-la de forma emergencial. Se em algum momento perceber que está prestes a chegar ao limite da pressão no ambiente de trabalho, pare e, por um período de três minutos, pense somente na sua respiração. Não julgue a respiração, não condene a respiração. Foque apenas na sensação do ar entrando nas suas narinas, enchendo os seus pulmões e, depois, sendo devolvido ao ambiente.

 

Trabalhe a sua resiliência

Entender o significado desse substantivo é outra chave para decifrar o mindfulness. A pessoa resiliente se adapta mais rapidamente e com mais facilidade a dificuldades que eventualmente surgem ao longo da execução de uma tarefa. Não é questão de passividade ou de conformismo, mas de não perder tempo em um problema que não se resolve. O exercício é sempre se questionar se esbravejar diante de uma dificuldade terá algum efeito prático em diminuí-la. Se você não pode solucionar um problema, solucionado ele está. Adapte seus prazos, reconfigure suas rotinas e siga em frente.

 

Coloque-se no lugar do outro

Um cacoete do nosso comportamento egocêntrico é nos aproximarmos de quem é semelhante e rejeitar quem é diferente ou está em um posto diferente. No trabalho, não é diferente, mas obrigatoriamente precisamos lidar com pessoas com dinâmicas e emoções diversas. Sempre que você estiver prestes a se irritar com um colega ou com a ordem vinda de um chefe, faça o exercício de tentar enxergar o mundo pela visão dele. Um dos grandes benefícios do mindfulness no ambiente de trabalho é tornar colegas mais empáticos entre si, o que costuma melhorar relações interpessoais em pouco tempo.

 

Fonte: Revista Donna

Sem Respostas para "Meditar é preciso: quatro técnicas de mindfulness que ajudam a lidar melhor com pressões e prazos no trabalho"


    Tem algo a dizer?

    Algum html é OK